Funções neuropsicológicas na paralisia cerebral

  • Maria de Lourdes Merighi Tabaquim
  • Rui Mateus Joaquim

Resumo

A Paralisia Cerebral (PC) refere-se a uma série heterogênea de sinais clínicos causados por lesões neuropatológicas não progressivas do cérebro em desenvolvimento, caracterizados por ações motoras e mecanismos posturais anormais. Embora o aparecimento das lesões e suas expressões clínicas possam mudar à medida que ocorre o amadurecimento cerebral, não existe doença ativa ou progressiva. O diagnóstico clínico da PC é baseado na história de vida da criança, na avaliação neurológica através das manifestações motoras que constituem sua principal característica clínica, com achados de retardo no desenvolvimento, persistência de reflexos arcaicos, anormalidades posturais e outros sinais patológicos. Embora a PC possa estar associada a outras manifestações de disfunção cerebral estática, o diagnóstico é crucial porque envolve programas de tratamento e prognósticos específicos, assim como pode desencadear a busca por outras deficiências.

Palavras chave: Paralisia Cerebral, Neuropsicologia, Criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ciasca SM, Moura-Ribeiro MVL, Tabaquim MLM. Aprendizagem e paralisia cerebral. In: Rotta NT, Ohlweiler L, Riesgo RS. Transtornos da Aprendizagem: abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Diament A, Cypel S. Encefalopatias crônicas da infância. In: _____. Neurologia infantil. São Paulo: Atheneu; 2005. p.901-920.

Guardiola A. Transtornos de atenção: aspectos neurobiológicos. In: : Rotta NT, Ohlweiler L, Riesgo RS. Transtornos da Aprendizagem: abordagem neurobiológica e multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed; 2006

Iwabe C, Piovesana AMSG. Estudo comparativo do tono muscular na PC tetraparética em crainças com lesões predominantemente corticais ou subcorticais na tomografia computadorizada de crânio. Arq Neuro-Psiquiatr. 2003; 61(3):617-20.

Laborit H. Organization neurophysiologique general in neurophysiologie: aspects métoboliques et pharmacologiques. Paris: Masson; 1969. p.29-32.

Luria AR. Higher cortical functions in main. New York: Basic Books; London: Tavistock; 1966.

Minkowski M. Acerca de La evolución anatoma-fisiológica de lãs funciones cerebral em El lactente párvulo. In:_____. Neuripsicologia y pediatria. Buenos Aires: Alfa; 1956.

Moura-Ribeiro MVL. Sistema nervoso em desenvolvimento: estudo de alguns aspectos lesionais. In: Souza AMC, Ferraretto I. Paralisia cerebral: aspectos práticos. São Paulo:Memnon; 1998.

Nelson K, Grether J. Causes of cerebral palsy. Curr Opin Pediatr, 1999; 11(6):487.

Nestler EJ, Hyman SE, Malenka RC. Molecular neuropharmcology: a foundation for clínical neuroscience. New York: MacGraw-Hill; 2001.

Özduman K, Barnes P, Copel J, Ogle E, Duncan C, et al. Stroke. Pediatr Neurol. 2004; 30:151-62.

Rosenbaum P, Leviton A, Paneth N, Jacobsson B, Goldstein M, Bax M. Proposed definition and classification of cerebral palsy. Dev Med Child Neurol, 2005; 47:571-6.

Silveira RC, Procianoy RS. Lesões isquêmicas cerebrais no recém-nascido pré-termo de muito baixo peso. J Pediatric. 2005; 8(1):S23-S32.

Swanson J, Posner M, Fusella J, Wasdell M, Sommer T, Fan J. Genes and attention deficit hyperactivity disorder . Curr. Psychiatry Rep. 2001; 3(2).92-100.

Tabaquim MLM. Paralisia cerebral: ensino de leitura e escrita. Bauru: EDUSC, 1996.

Tabaquim MLM Avaliação neuropsicológica: estudo comparativo de crianças com paralisia cerebral hemiparética e dificuldades de aprendizagem. Tese. FCM/Unicamp.2002.

Tabaquim MLM Neuropsychological evaluation: comparative study of children with hemiparetic cerebral palsy and learning disorders. Arqui Neuro-Psiquiat. 2004; 62(1): 181-4.

Publicado
2013-12-09
Como Citar
Tabaquim, M. de L. M., & Joaquim, R. M. (2013). Funções neuropsicológicas na paralisia cerebral. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 2(5). Recuperado de https://www.archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/215
Seção
Artigos