Lavandula angustifolia Miller e sua utilização na Odontologia: uma breve revisão

  • Elaine Roberta Leite de Souza
  • José Henrique de Araújo Cruz
  • Nílvia Maria Lima Gomes
  • Laise Luz Ramos
  • Abrahão Alves de Oliveira Filho

Resumo

O uso de medicamentos fitoterápicos vem crescendo mundialmente entre os programas preventivos e curativos, e tem estimulado a avaliação dos extratos de plantas para o uso na odontologia como controle do biofilme dental e outras desordens bucais. As plantas do gênero Lavandula, pertencem à família Lamiaceae, e têm sido utilizadas através dos anos para uma variedade de propósitos cosméticos e terapêuticos. Sua utilização na odontologia é, na grande maioria dos estudos, devido ao seu potencial ansiolítico. Entretanto, a Lavandula angustifólia demonstra outros potencias farmacológicos, como sua atividade antimicrobiana, antifúngica, anti-inflamatória e antinociceptiva. O presente estudo teve como objetivo integrar os conhecimentos já existentes sobre os aspectos das propriedades farmacológicas da Lavandula angustifolia Miller e sua aplicação na Odontologia. Trata-se de uma revisão bibliográfica no qual foi realizada uma seleção de artigos científicos a partir das bases de dados: Lilacs, MEDLINE, BVS e Scielo, além de monografias que atenderam aos requisitos do tema abordado, no período 2008 a 2018 com exceção de artigos clássicos que se apresentaram imprescindíveis ao presente estudo. Obteve-se um total de 1.532 artigos. Foram selecionados 38 artigos como amostra, que apresentaram a temática elencada para a pesquisa e que foram divididos por sessões: aspectos botânicos da planta; aspectos bioquímicos da planta; potencial antimicrobano; potencial anti-inflamatório; potencial ansiolítico e; potencial antinociceptivo. Pode-se concluir que a Lavandula angustifóliaMiller apresenta-se como uma boa alternativa para utilização na odontologia. Entretanto, a falta de trabalhos que abordem sua utilidade na odontologia revela a necessidade de se intensificar as pesquisas sobre o assunto.

Descritores: Plantas Medicinais; Odontologia; Lavandula.

Referências

  1. Francisco KSF. Fitoterapia: uma opção para o tratamento odontológico. Rev Saúde. 2010;4(1):18-24.
  2. Silveira SM, Cunha Júnior A, Scheuermann GN, Secchi FL, Silvani V, Marisete K et al . Composição química e atividade antibacteriana dos óleos essenciais de Cymbopogon winterianus (citronela), Eucalyptus paniculata (eucalipto) e Lavandula angustifolia (lavanda). Rev Inst Adolfo Lutz. 2012;71(3):462-70.
  3. Koulivand  PH,  Ghadiri  MK,  Gorji  A.  Lavender   and   the  nervous  system. Evid  Based Complement Alternat Med. 2013;2013:681304.
  4. Verma RS, Rahman LU, Chanotiya CS, Verma RK, Chauhan A, Yadav A et al. Essential oil composition of Lavandula angustifolia Mill. cultivated in the mid hills of Uttarakhand, India. J Serb Chem Soc. 2010;75(3):343-48.
  5. Biasi LA, Deschamps C. Plantas Aromáticas: do cultivo à produção de óleo essencial. Curitiba: Layer;2009.
  6. Lorenzi, H, Matos EJA. Plantas medicinais do Brasil: nativas e exóticas. 2. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora;2008.
  7. Índice Terapêutico Fitoterápico (ITF). Petrópolis: Editora de Publicações Biomédicas;2008.
  8. Chioca LR. Avaliação do mecanismo de ação do efeito tipo ansiolítico da inalação do óleo essencial de lavanda em camundongos [tese]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná;2013.
  9. Zabirunnisa M, Gadagi JS, Gadde P, Myla N, Koneru J, Thatimatla C. Dental patient anxiety: Possible deal with Lavender fragrance. J Res Pharm Pract. 2014;3(3):100-3.
  10. Platt ES. Lavender: How to grow and use the fragrant herb. 2. ed. Mechanicsburg PA: Stackpole Books;2009.
  11. Hajhashemi V, Ghannadi A, Sharif B. Anti-inflammatory and analgesic properties of the leaf extracts and essential oil of Lavandula angustifolia Mill. J Ethnopharmacol. 2003;89(1):67-71.
  12. Machado MP, Ciotta MN, Deschamps C, Zanette F, Côcco LC, Biasi LA. In vitro propagation and chemical characterization of the essential oil of Lavandula angustifolia cultivated in Southern Brazil. Cienc Rural 2013;43:283-89.
  13. Porto C da, Decorti D, Kikic I. Flavour compounds of Lavandula angustifolia L. to use in food manufacturing: Comparison of three different extraction methods. Food Chem. 2009;112(4):1072-78.
  14. Duke JA. Handbook of Medicinal Herbs. Flórida: CRC;2000.
  15. Mantovani ALL, Vieira GPG, Cunha WR, Groppo M, Santos RA, Rodrigues V et al . Chemical composition, antischistosomal and cytotoxic effects of the essential oil of Lavandula angustifolia grown in Southeastern Brazil. Rev. bras. farmacogn. 2013;23(6):877-84.
  16. Jianu C, Pop G, Gruia AT, Horhat FG. Chemical Composition and Antimicrobial Activity of Essential Oils of Lavender (Lavandula angustifolia) and Lavandin (Lavandula x intermedia) Grown in Western Romania. Int J Agric Biol. 2013;15(4):772-76.
  17. Lam M, Jou Pc, Lattif Aa, Lee Y, Malbasa Cl, Mukherjee Pk et al. Photodynamic therapy with Pc 4 induces apoptosis of Candida albicans. Photochem Photobiol. 2011;87(4):904-9.
  18. Pereira CA, Romeiro RL, Costa AC, Machado AK, Junqueira JC, Jorge AO. Susceptibility of Candida albicans, staphylococcus aureus, and streptococcus mutans biofilms to photodynamic inactivation: an in vitro study. Lasers Med Sci. 2011;26(3):341-48.
  19. Neville BW, Damm DD, Allen CM, Bouquot JE. Patologia Oral e Maxilofacial. 3. ed. Rio De Janeiro: Elsevier;2009.
  20. de Rapper S, Kamatou G, Viljoen A, van Vuuren S. The in vitro antimicrobial activity of lavandula angustifolia essential oil in combination with other aroma-therapeutic oils. Evid Based Complement Alternat Med. 2013;2013:852049.
  21. Uniyal V, Bhatt RP, Saxena S, Talwar A. Antifungal activity of essential oils and their volatile constituents against respiratory tract pathogens causing Aspergilloma and Aspergillosis by gaseous contact. J Appl Nat Sci. 2012;4(1):65-70.
  22. Ribeiro BP, Pereira WS, Sousa AIP, Guerra RNM, Nascimento FRF. Alteração no perfil bioquímico induzido por reação inflamatória granulomatosa em camundondos. Rev Ciênc Saúde. 2010;12(1):73-9.
  23. Rubin E, Gorstein F, Rubin R, Schwarting R, Strayer D. Patologia. Bases clínicopatológicas da Medicina. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan;2006.
  24. Silva GL. Avaliação da atividade antioxidante, antiinflamatória e antinociceptiva do óleo essencial de lavanda (Lavandula angustifolia Mill) [dissertação]. Dissertação (Mestrado). Porto Alegre: Universidade Católica do Rio Grande do Sul;2009.
  25. Cryan, JF, Sweeney FF. The age of anxiety: role of animal models of anxiolytic action in drug discovery. Br J Pharmacol. 2011;164(4):1129-61.
  26. Barik J, Marti F, Morel C, Fernandez SP, Lanteri C, Godeheu G et al. Chronic stress triggers social aversion via glucocorticoid receptor in dopaminoceptive neurons. Science. 2013;339(6117):332-35.
  27. Martin EI, Ressler KJ, Binder E, Nemeroff CB. The neurobiology of anxiety disorders: brain imaging, genetics, and psychoneuroendocrinology.  Psychiatr  Clin  North Am. 2009;32(3):549-75.
  28. Oler JA, Fox AS, Shelton SE, Rogers J, Dyer TD, Davidson RJ et al. Amygdalar and hippocampal substrates of anxious temperament differ in their heritability. Nature. 2010;466(7308):864-68.
  29. Loggia ML, Schweinhardt P, Villemure MC, Bushnell Mc. Effects of psychological state on pain perception in the dental environment. J Can Dent Assoc. 2008;74(7):651-56.
  30. Carvalho RWF, Falcão PGCB, Campos GJL, Bastos AS, Pereira JC, Pereira MAS et al. Ansiedade frente ao tratamento odontológico: prevalência e fatores predictores em brasileiros. Ciênc Saúde Colet.  2012;17(7):1915-22.
  31. Siviero M, Nhani VT, Prado EFGB. Análise da ansiedade como fator preditor de dor aguda em pacientes submetidos à exodontias ambulatoriais. Rev Odontol UNESP. 2008;37(4):329-36
  32. Coelho LS, Correa-Netto NF, Masukawa MY, Lima AC, Maluf S, Linardi A et al. Inhaled Lavandula angustifolia essential oil inhibits consolidation of contextual-but not tone-fear conditioning in rats. J Ethnopharmacol. 2018;215:34-41.
  33. Oliveira RRB, Góis RMO, Siqueira RS, Almeida JRGS, Lima JT, Nunes XP et al . Antinociceptive effect of the ethanolic extract of Amburana cearensis (Allemão) A.C. Sm., Fabaceae, in rodents. Rev bras farmacogn.  2009;19(3):672-76.
  34. Millan MJ. Descending control of pain. Prog Neurobiol. 2002;66(6):355-474.
  35. Julius D, Basbaum AI. Molecular mechanisms of nociception. Nature. 2001;413(6852):203-10.
  36. Centers for Disease Control and Prevention. Unintentional drug poisoning in the United States. CDC: Atlanta, 2010. Disponível em: https://www.cdc.gov/homeandrecreationalsafety/pdf/poison-issue-brief.pdf.
  37. Donatello NN. Ativação de receptores opioides periféricos e espinais pela inalação do óleo essencial de lavandula augustifolia reduz hiperalgesia mecânica em modelos animais de neuropatia e inflamação crônica [dissertação]. Palhoça: Universidade do Sul de Santa Catarina, Pós-graduação em Ciências da Saúde;2017.
  38. Maior FNS. Atividade ansiolítica e antinociceptiva do óxido de linalol em modelos animais [tese]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba;2011.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-20
Como Citar
Souza, E. R. L. de, Cruz, J. H. de A., Gomes, N. M. L., Ramos, L. L., & Oliveira Filho, A. A. de. (2019). Lavandula angustifolia Miller e sua utilização na Odontologia: uma breve revisão. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 7(12). https://doi.org/10.21270/archi.v7i12.3125
Seção
Artigos de Revisão